Além de você, há:

Arquivos

et cætera – IV

Randomicidades do Mundo Jurídico:

* A segunda fase da prova da OAB está suspensa em todo o país. Cidadão em Osasco foi flagrado antes da prova ser distribuída com uma folha de respostas que continha até mesmo o nome dos personagens fictícios usados como exemplo na prova. A OAB Federal está pedindo ajuda da Polícia Federal para apurar o vazamento das provas, que são elaboradas pela (supostamente) idônea CESPE/UnB. É isso. A qualidade do ensino cai e a gigante massa de alunos que não consegue passar vai começar a apelar para o tapetão.

* Candidato do Município de Barcelos, interior do Amazonas, foi cassado hoje pelo TRE/AM. Dentre as causas de cassação uma chamou atenção em especial: Segundo o TRE, a equipe do candidato teria, no dia da eleição, oferecido a pessoas humildes e ignorantes dinheiro falso em troca de votos. O impresso parecia dinheiro, e nele estava escrita a expressão “sem valor”. O candidato, que foi eleito como prefeito municipal, tem agora poucos dias na cadeira. Já o povo que vendeu seu voto recebeu o que merecia.

* Por último uma situação sem qualquer justificativa. Acesse o site do TJ/AM, e clique em consultas de primeiro grau (ou, se preferir, clique neste link) e faça busca pelo processo de número 012000140289 que aparecerão vários processos. Clique no que é identificado como inventário. À primeira vista, nada de mais. A data de distribuição é 09/11/2009 e aparenta ser um processo como outro qualquer. Ledo engano. Desça até o fim da página e clique no botão “TODOS OS DADOS”. Agora acompanhe a “timeline” de atos processuais para descobrir que o feito foi distribuído em 03/02/1928. Isso mesmo: Mil novecentos e vinte oito! Não há absolutamente nenhuma razão para que um processo tramite há mais de oito décadas sem mesmo ter sentença de primeiro grau. Pior: Já que a distribuição é de 1928, mas a data de distribuição do sistema diz que é de 2009, será que o CNJ sabe da idade deste processo ou será que o TJ/AM está adotou a solução baiana para a meta 2?

6 comments to et cætera – IV

  • [...] Posted by Gustavo D'Andrea in Anotações. Tags: Exame de Ordem trackback Acabei de ler no bLex post que informa que a segunda fase do Exame de Ordem está suspensa. O motivo de suspensão seria [...]

  • Danilo Germano

    Até a Cespe?

    Lascou-se…

  • Fabio

    A fraude no exame da Ordem nada mais é do que o reflexo nos bacharéis da impunidade que reina no país. É bem verdade que há um recente movimento de moralização – haja vista o posicionamento do STJ no caso Arruda e os últimos julgados do TSE, que não têm dado refresco nem pra síndico de condomínio. Todavia, até bem pouco tempo atrás o que se via era que tudo acabava mesmo em pizza.

  • Enysson Barroso

    Inventário:Será que o neto desse advogado fez Direito?

  • Sou do tempo em que o exame era regionalizado. Embora em alguns Estados a possibilidade de fraude fosse maior, a elaboração da prova pela própria comissão da OAB estadual dava uma lisura ao exame, sendo menor o número de pessoas que tomava contato com o conteúdo e gabarito. Agora, além de não atentar às particularidades de cada Estado (tal como qualidade do ensino jurídico ou número de advogados já em atuação), estamos diante de possíveis fraudes, que trazem transtornos incomensuráveis, o que é lamentável, sem falar em decisões judiciais que podem trancar o exame em nível nacional.

  • [...] de ler no bLex post que informa que a segunda fase do Exame de Ordem está suspensa. O motivo de suspensão seria [...]

Leave a Reply

  

  

  

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>